Pages

Assista A Introdução

sexta-feira, 7 de maio de 2010

LUGAR DE LAVAR ROUPA SUJA É EM CASA





Roupas estendidas no varal
lavanda, carinho de criança ou floral
Astro rei presenteia-nos sem igual
Crianças com suas latas fazem verdadeiro carnaval



Uma pitada de desejos
Ingrediente vital nesta sopa de letra
Guris traquinas enfiando o dedo na vasilha
Desfrutando de nossos antigos segredos



Conhecedores de mitos gregos
Navegadores sem bússola e sem medo
Contadores de estorias e grandes enredos
Transbordam por ralos de nossos destemperos



Víboras e Facínoras
Tudo sem graça sem sentido
Apenas tentando encontrar a rima
Deste versos sem sonetos



Esperança tardia
Querer explicar o que você ou eu escrevo
Sem métrica sem simétrica sem entendimento
Palavras vazias sopro do vento


Que ajuda ao sol a secar
As roupas la em cima no varar (varal)


ANDERSONSC





1 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Pois você poeta faz versos até com instantes inusitados como esse de lavar as roupas. Parabéns!!!

BeijooO'