Pages

Assista A Introdução

domingo, 10 de outubro de 2010

SECRET FILES WITHOUT SECRETS




Tão vazias paginas multicoloridas
Tão cheios comentários de fantasia
Fundo branco preenchido com verdades e mentiras
Versos, prosas e rimas


De seu caderno diário noturno
Resgata sonhos, tristeza e alegrias
De seu poço escondido entre as flores do jardim
Puxa o balde com agua límpida
Mas trás junto micro organismo nocivos a vida


Nos rascunho esboço de sua vida
Não só seu mas também de velhas companhias
Por de trás do rotulo uma bula que dizia:
Não vos deixeis enganar
Más companhias Corrompem bons costumes

Todo livro deseja ser lido
Todo poema deseja ser recitado
Todo surdo deseja ouvir
Mesmo que de si coisas ruins seja exteriorizadas
Por boca metálicas ou sequer sem dentes

A palavra pode ser uma serpente
A palavra pode ser o veneno que mata
Mas é do próprio veneno que se retira o antídoto
Resposta vinda de seu velho e já desgastado
Caderno de enquetes dos anos oitenta

Mas existem respostas
Respostas que nunca serão dadas


Lá vem eles novamente com suas
Boas porem nunca concreta teorias


As vezes sinto que é isto que nos enforca
Os nós desta corda nos.


OBS: ” Não vos deixeis enganar:
Más companhias corrompem bons costumes. “
1 Cor. 15,33
ANDERSONSC

8 comentários:

Marcio Nicolau disse...

Não sei dizer por que, mas enxergo aqui em teus versos a produção literárias dos blogues na Internet.

Gostei muito do poema.

Marcio Nicolau disse...

Agradeço a visita e aproveito pra dizer que concordo com você: as leituras alheias são a esperada (porque necessária) resposta aos nossos exercícios literários e nos falam (melhor do que nós mesmos diríamos) a respeito do que escrevemos. Chamou a minha atenção, em particular, no teu poema, o verso em que você menciona os "micro organismos". Por isso me remeti a escrita virtual e às "vazias paginas multicoloridas
Tão cheios comentários de fantasia
Fundo branco preenchido com verdades e mentiras
Versos, prosas e rimas"

Reflito acerca da validade deste diálogo através dos blogues, por isso o teu poema conVersou comigo.

Um abraço e espero que goste do conteúdo do InterTextual. Volte quando quiser e deixe suas impressões.

[Ananda] disse...

nossa,garoto literário tbm,consegue fazer poemas,acho isso lindo,gostei dele,bem reflexivo o do Nylon sobre teorias q tentam explicar as coisas e q me fascinam tanto,sobre as más companhias eu realmente não sei ,eu já tive colegas meio loucos q andava ,mas achoq vai de vc,não é pq uma pessoa faz coisas q não são legais q eu irei fazer tbm.
bom,´é isso.gostei dos seus cantos,nova visitante,quando tiver meus tempos vagos na net,tô muito sem tempo,tenho q estudar pro vestibular.o.O

Valéria Sorohan disse...

Visceral!

BeijooO*

[Ananda] disse...

Sim,muitos dariam a vida para viver.
Acho que no final viver é uma arte,sim eu acho que daria minha vida para viver msm com todas as frustrações,coisas loucas q existem.
Bom,desculpa deixar recado aqui é q não tinha nada novo pra comentar então repito aki.o.O
Aquele dia tava meio frustrada com algumas coisas ,ainda tô mas tem dias que sou pior,não liga não tem dias que acho que escrevo muitas besteiras principalmente quando tô meio chateada,isso é um mau,tenho q parar mas não consigo.

S.Souza disse...

O dizer hoje está muito falho, e as palavras voam com o vento muito fácil. Mas os seres, humanos como são não querem comentar o que sentem, já que as pessoas negam muito o que são e/ou não se conhecem como tal.

israel batista disse...

muito bom esse blog adorei sensacional agora dê uma passadinha no meu www.blogdoisraelbatista.blogspot.com abraços

Iara Moura disse...

As palavras são a salvação - a fonte do que há por de trás do que há. E nenhuma teoria pode exteriorizar os sentimentos das palavras, por mais que boas teorias sempre corrompam boas companhias.